Já ouviu falar sobre Minimalismo?

2 Comentário(s) | 26 de setembro de 2017 | Categoria: Comportamento, Destaque

Você consegue viver com menos?

Menos é mais

Quantas vezes você já ouviu essa frase e concordou ou entortou o bico e quis sair correndo?

Eu sou filha dos anos 80. O BOOM do consumo, cores, ombreiras e cabelos volumosos. A década do mais é mais ainda. Quando comecei a me entender por gente já era anos 90 mas com certeza fui influenciada pelos 80’s. Como muitas famílias que conheço, meus pais queriam me dar o que eles não tiveram na infância. Sou filha única e esse esquema só aumenta quando você é a filha em carreira solo da casa. Era só eu para ser mimada e paparicada.

Por longos anos da minha vida o menos não era mais jamais. É muito óbvio que sou grata por cada objeto que ganhei e ainda ganho dos meus pais. Hoje em dia menos pois estou em uma tentativa de me reeducar em relação ao consumo. Não está sendo uma tarefa fácil.  Penso que passei consumindo loucamente durante muitos anos e não será de uma hora para outra que vou me educar. É um processo de dia após dia.

Descobri o minimalismo

por influência do curso de Design de Moda. O que nos ensinam nas aulas sobre consumo consciente abre uma vasta gama de possibilidades para pesquisarmos mais a fundo sobre o tema. E assim o conceito de minimalismo entrou na minha vida.

Minimalismo nada mais é do que ter menos para ter mais. As coisas que possuímos podem estar nos sufocando só que não percebemos até ficar insustentável e virar caso de reality show. Quando temos menos coisas nos sobra mais tempo para fazer aquilo que gostamos. Menos objetos nos trazem menos preocupações, menos tempo limpando a casa, mais vida para aproveitar.

Pense na seguinte situação: viagem marcada, armário abarrotado e você só consegue pensar que não tem nada pra por na mala. Fica horas arrumando e colocando um monte de roupas que não gosta, já que “não tem nada pra vestir” enquanto poderia fazer um roteiro e pesquisar mais sobre a cidade que vai conhecer. Algo soa familiar nesse exemplo?

Já fiz isso inúmeras vezes e o pior é que acabei não usando metade das roupas que levei. Aposto que vocês também! Agora imaginem um guarda-roupas somente com aquelas peças que você ama de verdade, todas servem perfeitamente no seu corpo atual e tudo combina entre si. Um sonho inalcançável? Jamais! Pense bem se é realmente necessário trinta calças jeans se você só usa sempre aquelas mesmas três. Dez bolsas diferentes se aquela que mais gosta e usa todos os dias foi uma que resgatou no armário da sua mãe? Vamos analisar esse comportamento, hein?

Não são só roupas

que entram na forma minimalista de viver a vida. É um todo e isso inclui as relações humanas do nosso dia a dia. O menos é mais fica inserido aqui também. Não estou dizendo que você não pode ter trezentos amigos e sim quero alertar sobre as relações tóxicas do nosso cotidiano. Se você não gosta de uma pessoa do seu convívio se afaste aos poucos e perceba a sua vida melhorar diante dos seus olhos.

O poder do não bem utilizado pode ser uma ferramenta incrível para nos livrarmos de objetos, pessoas e situações que não nos fazem felizes. Eu sei que não dá para ser feliz o tempo todo e às vezes um sapinho ou dois teremos que engolir. O que não pode acontecer na nossa vida são esses sapos irem dormir conosco e virar um peso nas nossas costas que não conseguimos nos desfazer. A felicidade não é um destino final e sim uma trilha que vamos desbravando dia após dia.

Aproveitar os momentos

porque são eles que fazem nossa vida ter mais significado. Falando neles, este ano pedi ao meu namorado um presente de aniversário diferente. Falei que queria “momentos” em vez de “coisas” e foi incrível! Ganhei festa surpresa, show no cinema e massagem relaxante. O que eu quero mais da vida, não é mesmo?

Para os meus pais pedi só coisas úteis de casa porém não resisti e fiz umas comprinhas de roupas (mesmo sabendo que não estava precisando de nada) porém bem diferente dos anos anteriores que era visita/compras nos shoppings todos os dias.

Eu preciso mesmo disso?

Existe um caminho longo entre o saber que não precisa de nada e não sentir a necessidade de adquirir objetos novos. Ainda tenho uma sede de consumo grande, principalmente em relação a vestimenta. Estou me reeducando.

No começo desse mês estava com um projeto não muito realista: seis meses sem comprar roupa/sapato/acessório. Consegui ficar 40 dias na sofrência até que fui em um evento de lançamento de anéis exclusivos de duas marcas que adoro e não resisti. Aconteceu comigo igual acontece quando você toma remédio pra emagrecer e para, ou seja, volta a comer o dobro! Sendo assim não dá para parar de uma vez só (e eu nem quero) ainda mais que pelo Enjoy fico conhecendo muita marca legal e sustentável. Isso sim é a minha vibe desde que o Blog começou. Cada entrevista que já rolou por aqui ficamos encantadas com o que tem por trás das marcas, suas histórias e vivências. Assim dá gosto de comprar e fazer rodar o mercado local mas tudo com calma e consciência. Não quero voltar a ser a louca das sacolas!

Essa era eu só que nunca foi Gucci nem Chanel haha

Ares de mudança

Não sei bem quando comecei a me interessar por minimalismo. Assisti muitos vídeos no YouTube e li alguns blogs sobre esse tema. Cada vez que assistia um vídeo queria me livrar de algo na minha casa que estava parado. Consegui doar bastante coisa, vender bem pouco e organizar o restante. Tenho que tomar cuidado com o ‘destralhe’ pois se não acabo só com um colchão no chão e meu computador! Não queremos isso, né, pessoal? Afinal de contas, como já disse ali em cima, sou muito grata por tudo o que tenho.

O minimalismo definitivamente não é uma competição de quem tem menos. É sobre ter o suficiente. Cada pessoa sabe o que é útil para si. Não estou dizendo que um mimo ou outro não rola, até porque se é o que lhe agrada, traz felicidade e não sufoca, parabéns! Por mim, se tudo na sua casa for assim zerou a vida e ganhou várias estrelinhas!

Pensamentos negativos, relações tóxicas, consumo excessivo e sem propósito não devem ganhar espaço na sua vida. Não importa se você é ou não minimalista. Você não precisa se livrar das coisas com dor. Pense se o que tens hoje é o que te faz feliz e se a resposta for sim, ótimo! Caso contrário pense você consigo mesmo o que está te deixando para baixo e avalie a melhor forma de melhorar. A vida é uma grande evolução desde os primórdios e eu só quero ser uma pessoa melhor para mim e para o mundo!

Be free!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Me conte aqui nos comentários se você já leva essa vida e só não sabia que ela tinha nome ou é a rainha das sacolas. Vou adorar saber mais sobre vocês!

 

Beijos e até o próximo post!

 

Post por Lizzie Renata

 

 

 

 

 

 

Tags: , , ,

Compartilhar:

2 Comentários

  1. Loedelane disse:

    A D O R E I o que você escreveu. Achei o máximo a parte de arrumar malas ao invés de pesquisar lugares. Vou fazer isso na próxima viagem. Boa sorte e parabéns. Gostei muito de ler você .

Deixe o seu comentário!

COPYRIGHT 2017 © ENJOYCWB.COM.BR | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. | DESIGN E PROGRAMAÇÃO: MUITOMAISDIGITAL.COM.BR